A tarefa decisiva do cristão consiste em buscar, reconhecer e seguir a vontade de Deus em tudo. O homem de Estado e cristão Carlos da Áustria enfrentava este desafio quotidianamente. Aos seus olhos, a guerra manifestava-se como “algo horrível”. Durante os tumultos da Primeira Guerra Mundial, ele procurou promover a iniciativa de paz do meu predecessor Bento XV.

Desde o início, o Imperador Carlos concebeu o cargo que ocupava como um serviço sagrado aos seus povos. A sua principal preocupação consistia em seguir a vocação do cristão à santidade também na sua ação política. Por esse motivo, o seu pensamento estava orientado para a assistência social. Que ele constitua um exemplo para todos nós, sobretudo para aqueles que hoje ocupam lugares de responsabilidade política na Europa!

 

Papa João Paulo II
Homilia da
Missa de beatificação
Praça de São Pedro
3 de outubro de 2004

 

 

(Texto extraído da edição portuguesa de L’Osservatore Romano, 9 de outubro de 2004)